Conheça 6 tendências para a indústria alimentícia em 2019

A indústria alimentícia é um nicho mercadológico que só se expande no Brasil. Conheça agora mesmo as suas principais tendências para o ano!

Transformar dados em informações úteis com a ajuda da tecnologia, seria esse o lema de 2019? Como você acha que as tendências irão ditar a produção da indústria alimentícia para 2019 e os próximos anos?

Tecnologia! Essa é a resposta e também a palavra que deve estar ao lado do seu negócio. Para lhe ajudar a saber se a inovação da sua indústria está no caminho certo e o que deve fazer para não perder a competitividade nos próximos anos, elenquei neste conteúdo as 6 tendências para a indústria alimentícia em 2019 e porque não, para os próximos anos?

Confira a seguir!

1. Automação industrial

Segundo a Associação Brasileira da Indústria de Alimentos, após uma queda em 2017, em 2018 a indústria alimentícia cresceu 2,08%, o que representa uma soma de R$ 656 bilhões somando as importações e exportações. Em 2019, a previsão é que as vendas reais de produtos alimentícios cresçam ainda entre 3% e 4% em relação ao ano passado.

Isso se dá por vários motivos, e talvez, um dos maiores seja a automação. Ela tem sido uma das principais forças que expande o mercado de alimentos no país, uma vez que garante mais agilidade no processo produtivo e qualidade superior de entrega.

De uma maneira bem resumida, pode-se dizer que a automação industrial entrega mais, em menos tempo e com um resultado melhor. Ou seja: é mais lucratividade, menos desperdício e mais satisfação com a entrega. Essas informações querem dizer que estamos em um cenário perfeito para investir, visto as riquezas naturais, solo fértil e demais recursos disponíveis em nosso país.

2. Indústria 4.0

O advento da indústria 4.0 também beneficiou muito a indústria alimentícia do Brasil até o momento. Isso porque ele traz consigo uma revolução tecnológica, uma mudança de mindset e novos modelos produtivos, mais eficientes.

No entanto, como a América Latina em geral está consideravelmente atrás das inovações tecnológicas em relação ao restante do mundo, ainda há muito a ser explorado por aqui. Segundo informações do governo federal, os principais recursos que compõem a última revolução industrial e podem ser explorados dentro da tecnologia de alimentos são:

  • Internet das coisas;
  • Impressoras 3D;
  • Manufatura híbrida;
  • Simulações;
  • Computação em nuvem;
  • Big Data;
  • Fusão e conexão entre máquinas e processos;
  • Comunicação bem estruturada;
  • Inteligência Artificial (IA);
  • Robótica avançada.

3. Inteligência Artificial

A Inteligência Artificial é um dos grandes trunfos da indústria 4.0. Isso porque ela faz parte da mudança de mindset e contribui para aprimorar modelos produtivos. Para que isso seja possível, ela é composta por sistemas capazes de simular a inteligência humana, auxiliando na tomada de decisões e realizando ações inteligentes na indústria alimentícia. 

É possível conferir sua existência em diversas tarefas e ações do dia a dia, como por exemplo: na utilização do buscador Google, que é capaz de redirecionar sua navegação de acordo com o seu comportamento on-line.

Embora a utilização dessas tecnologias seja algo cada vez mais democrático e comum, o Brasil ainda precisa se aprimorar muito para chegar ao nível já atingido por diversos países do mundo.

Por isso, a dica para as empresas que buscam aproveitar essa oportunidade para aumentar o seu potencial competitivo, é: começar digitalizando processos, transformando-os em dados. Isso pode ser implantado no controle de qualidade de embalagem, via câmera inteligente, por exemplo.

Outro exemplo é o sistema de dosagem e pesagem de uma empacotadora. De maneira inteligente, ela é capaz de separar a dose exata de produto, de acordo com o peso programado e ainda depois fazer sua conferência, descartando pacotes que não se encaixam no conteúdo estabelecido.

4. Novos formatos de compra na indústria alimentícia

Pesquisas realizadas este ano pelo Google apontam que em média 67% das compras efetuadas no setor de industrial e logístico passaram por influência digital. Diante desses dados, é possível observar que o comportamento do consumidor mudou. Para acompanhar o mercado, o posicionamento dos fabricantes e fornecedores também deve mudar e se digitalizar.

Dentro desse mesmo contexto, é possível afirmar que o público B2B concentra, em sua maioria, a busca por soluções on-line. A pesquisa do Google ainda revela que 58% dessas pesquisas iniciam buscando um produto específico e só em um segundo momento uma marca específica é adicionada. Analise o que sua empresa já faz e se adeque a esse novo comportamento.

5. Sustentabilidade e alimentação saudável

Uma forte tendência de mercado para 2019 é a alimentação saudável e alimentos o menos processados possível. Com isso, entram também em ascensão outras alternativas de conservação dos produtos, sempre prezando pela maior naturalidade possível. Assim, podemos também destacar a embalagem a vácuo e o empacotamento automático, por exemplo.

Embora os processos industriais continuem em alta, buscar por alternativas que conservem mais a naturalidade do alimento pode ser uma grande vantagem competitiva. Inclua essa ideia ao seu planejamento!

6. Pacotes com zíper

Sabe aqueles pacotes de biscoito, congelados ou alguns molhos, que você pode abrir e fechar através de uma selagem que abre e fecha com um zíper? Elas são muito práticas e higiênicas, concorda? E é dessa tendência que estou falando!

Esses pacotes são finalizadas através da zip pack, uma máquina especializada nessas embalagens. O bacana desses recipientes é que além da praticidade, também podem ser reutilizados para outros fins posteriormente, caso o usuário deseje.

 

Agora que você já tem ideia de algumas das tendências para a indústria nos próximos anos, aproveite para saber mais sobre a indústria 4.0 e como ela impacta no seu negócio: confira este conteúdo.

Galeria de imagens