embalagem de macarrão, aberta, com a presença de corpo estranho

A presença de corpo estranho nas embalagens de alimentos pode causar sérios problemas. Saiba aqui quais são os riscos e como evitar essa situação.

 

O Brasil possui uma rígida legislação quando se trata de indústria alimentícia e embalagens para alimentos. Mesmo assim, não é raro ver notícias de corpos estranhos e objetos encontrados nessas embalagens. Desde fios, panos, e até insetos já foram encontrados por consumidores.

Mas, você sabia que isso pode gerar um grande prejuízo para a empresa responsável pelo produto? E não falo apenas de problemas de imagem de marca por conta da repercussão dos casos, mas também de problemas legais que podem gerar prejuízos. 

Neste conteúdo, vamos abordar o que são corpos estranhos, quais os prejuízos – legais ou não – que a presença desses elementos pode causar e também ações práticas para evitar esse tipo de situação na linha de produção. Continue a leitura e saiba mais!

O que são corpos estranhos em embalagens? 

Na medicina, corpo estranho é qualquer objeto ou substância que, indevidamente, entra no corpo humano, através dos olhos, boca, nariz, etc. Portanto, no ramo alimentício, corpo estranho pode ser entendido como qualquer objeto ou substância que indevidamente está presente em uma embalagem. 

Exemplos dessas situações não faltam, comumente são vistas notícias de consumidores que encontram desde plástico e papel, até baratas ou pelos de animais/insetos em embalagens, por exemplo. Todas essas situações são caracterizadas como corpos estranhos, e podem gerar grandes prejuízos para as empresas, além de colocar a saúde dos consumidores em risco.

Quais prejuízos a presença de um corpo estranho na embalagem pode causar?

De acordo com o art. 12 do Código de Defesa do Consumidor, independente de culpa, o fabricante responde pela reparação dos danos causados aos consumidores por defeitos de fabricação, manipulação e apresentação dos produtos. Ou seja, em caso de problema na fabricação ou apresentação dos alimentos, como no caso das embalagens, o fabricante responde judicialmente pelos danos causados.

Além disso, a presença de corpos estranhos coloca em risco a saúde dos consumidores, uma vez que a ingestão ou aspiração pode causar reações adversas. Imagine que uma criança está comendo um salgadinho qualquer e, sem perceber, acaba ingerindo um corpo estranho que estava presente na embalagem.

Isso pode causar sérios riscos à saúde, como obstrução das vias aéreas e reações alérgicas, por exemplo. Mas não são apenas crianças que estão sujeitas a esse tipo de situação, adultos também podem ter reações adversas no caso de ingerir um corpo estranho. 

E, como já mencionamos anteriormente, os problemas causados pela presença de corpo estranho na embalagem também podem causar também danos à imagem da marca. Imagine o impacto que uma notícia como “pelo de rato é encontrado dentro de uma embalagem do produto X” pode causar para a imagem da empresa responsável!

Considerando todos esses pontos, entende-se que a qualidade dos produtos oferecidos aos consumidores deve ser excelente em todos os aspectos. E algumas ações simples, do dia a dia da linha de produção, podem ajudar a prevenir esse tipo de situação.

De que forma essa situação pode ser evitada?

Algumas ações no dia a dia das empresas são muito importantes para evitar corpos estranhos mas embalagens, independente do tipo de produto. Entre elas, podemos citar:

 

  • A correta higienização dos equipamentos, para não contaminar os produtos fabricados ou embalados.
  • Dedetização frequente nas instalações da empresa para evitar a proliferação de insetos, ratos, baratas e moscas, por exemplo.
  • O cuidado dos operadores no momento da produção e embalagem, tirando anéis, pulseiras, e qualquer objeto que possa acidentalmente cair dentro do produto.
  • Cuidados com higiene pessoal, como cabelos presos e unhas cortadas.

 

Além dessas ações básicas, a empresa pode contar com alguns equipamentos que são importantes para o controle de qualidade dos produtos, e que podem ajudar a evitar situações de contaminação do produto por corpos estranhos.

Um exemplo disso é o uso de um detector de metais na linha de produção. O equipamento é utilizado para fazer a inspeção dos produtos durante o processo de embalagem. 

Desta forma, identifica possíveis contaminantes metálicos presentes nas embalagens. O uso desse equipamento traz mais segurança para o processo e é essencial para manter a qualidade dos produtos.

Essas ações podem fazer toda a diferença na garantia de qualidade do processo de produção e embalagem, e influenciar no produto final entregue aos consumidores!

 

Ou seja, você pode perceber o quanto a higiene dos colaboradores e do local de trabalho são importantes para evitar a presença de corpos estranhos nas embalagens. Porém, contar com tecnologias que auxiliam na identificação desses corpos estranhos é quase que fundamental.

 

Por isso, não deixe de investir na melhoria dos processos da sua empresa. Esse tipo de ação pode salvar a reputação da sua indústria! E já que está aqui, aproveite para saber mais sobre como garantir um empacotamento de qualidade na indústria.